quinta-feira, 19 de março de 2015

A Choperia House Bear em Cidade Tiradentes


Dia 20 de Março
Grande show com Grupo Katinguelê. Imperdível
Curta nossa página no Facebook:
https://www.facebook.com/achoperiashow?pnref=story


Ato de Luta pela Água, dia 20 de Março na Avenida Paulista



Perfil dos manifestantes do dia 15 de Março na Avenida Paulista.
quase todos(98%) foram convocados pela tv Roubo, rede manipuladora de Esgoto.
98% do que manifestaram seu ódio , votaram em traficante. na ultima eleição.
A maioria foi a manifestação com BILHETE ÚNICO e sem saber que foi um direito proporcionado pelo PT.

A MAIORIA FOI SEM TOMAR BANHO. GRASSADO NÃO E CULPANDO A DILMA???? KKKKKKK
dos 200 mil manifestantes, a maioria foi lá pra esbravejar, ou usar drogas e ficar se beijando em frente das crianças.
Eu estava lá e vi coisas q a REDE ESGOTO JAMAIS MOSTRARIA. mulher se beijando com mulher , homem com homem, não tenho nada contra homossexuais e nem lésbicas e nem hetero que era a minoria por sinal, porem se expor de forma ultra erótica em frente de crianças,não é aconselhável. Fumar,cheirar, usar crack,etc... em frente das crianças ??? Isso a Rede roubo que foi a organizadora do ato , não mostrou.
E o quebra quebra, lojas quebradas, prejuízos,etc...
Tem mais: Não cabe 1 milhão de pessoas na av Paulista é só pegar os dados principais da polícia e multiplicar pela área e ver que foi uma grande farsa. Um grande fiasco. A polícia se baseou num numero de 5 pessoas por metro quadrado. ou melhor: o mesmo que dizer que estavam todos enlatados. Mas vamos crer, pra não perder a amizade. Mesmo assim ,chegaremos a 200 mil. Um numero alto,não tenha dúvida.
Mas estavam todos divididos.mau educados. Uns queriam se aparecer outros intervenção militar, impeachment, n ão existia uma unidade, um consenso.
Precisei ficar com meus netos e eles queriam ir a av Paulista.
Outro detalhe> os noias defecando atrás do Masp e nos jardins do Trianon. FAÇA ME O FAVOR.
O QUE QUE OS GRINGOS VÃO PENSAR DE NÓS???
ENFIM: PODEMOS FICAR MAIS TRANQUILOS QUE O ÓDIO JÁ PASSOU,SERÁ??? KKKKK
....Mas com humildade venceremos todo o ÓDIO Nazista dos mau perdedores toda vez que resolverem atentar contra a democracia.
Dia 20 de agosto é a nossa no MASP e contra o colapso provocado pelo ARCKMIN, aquele governador que vende ar e cobra água do volume morto.
COMPARTILHAR EXAUSTIVAMENTE.


Texto de: Marcos Zinani

Kid Stok em Cidade Tiradentes

Promove uma super promoção de páscoa para você. Aproveite. Unidade Cidade Tiradentes:

Unidade Cidade Tiradentes: Avenida dos Metalúrgicos, 232. Próximo à Escola Rui de Mello.

terça-feira, 3 de março de 2015

Dia 13 de MARÇO – FRENTE ÚNICA CONTRA OS GOLPISTAS! NENHUM DIREITO A MENOS!

Não aceitamos o impeachment da presidente eleita. Na história do Brasil, todo golpe resultou em retrocesso social e político. E não me venham os legalistas tucanos ou a “esquerda falsária” dizer que impeachment não é GOLPE. No contexto atual é GOLPE SIM, não há nenhuma prova de que a Presidente Dilma Rousseff é uma ladra ou uma corrupta que desviou milhões para seu próprio bolso. Tudo isso é montagem da Rede Globo, da Revista Veja, e afins, para impedir que, nas eleições do país, prevaleça a vontade dos trabalhadores e trabalhadoras que não acataram os propósitos da burguesia que queria eleger seu candidato preferido, Aécio Neves, PSDB.
Todas as pessoas democráticas desse país devem, portanto, em FRENTE ÚNICA, no dia 13 de março, dizer não ao golpismo que, tentando enganar o povo, pretende ir à rua no dia 15 de março pedir a saída de Dilma Rousseff, DEMOCRATICAMENTE ELEITA. Ora, a democracia não é uma questão de conveniência, em que só se a aceita caso o partido x ou o partido y vença as eleições. Quanta hipocrisia dos golpistas, falando nas redes sociais, que são eles os defensores da democracia. São defensores da democracia o “escambau”! Perderam as eleições, e agora querem puxar o tapete de quem ganhou!
Ora, quem perdeu as eleições tem de esperar 2018. Portanto, no dia 13 de março, devemos ir às ruas, e devemos dizer: Não à direita golpista! Não aos que querem derrubar a democracia no país! Não ao impeachment da Presidente Dilma eleita por maioria!
E também devemos exigir NENHUM DIREITO A MENOS. Que o PT rompa com a burguesia e aplique o programa de esquerda que o elegeu. Petrobrás 100% estatal! 10% do PIB para educação pública já! 10% do PIB para a saúde pública já! Ampliação do projeto Minha Casa Minha Vida para todos aqueles e aquelas que não tem casa, independente da faixa salarial que recebem! Corruptos, desde que comprovado o roubo, dando-se amplo direito de defesa ao acusado, devem ir para a cadeia e devolver o dinheiro roubado. NÃO AO GOLPE, VAMOS À LUTA. Informe-se das manifestações em sua cidade!
Por: Gílber Martins Duarte – Militante SOCIALISTA LIVRE – Sind-UTE/Uberlândia/MG – Doutor em Análise do Discurso/UFU – Professor da Rede Estadual de Minas Gerais – Membro MEOB – CSP-CONLUTAS – EDITOR DO BLOGwww.socialistalivre.wordpress.com

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Coordenador da campanha de Aécio é acusado no Fantástico de corrupção

O empresário George Olímpio afirmou ter sido pressionado pelo senador José Agripino (DEM-RN) para pagamento de propina; em troca, ele seria acobertado em um esquema de corrupção envolvendo o Detran do estado. Agripino foi coordenador-geral da campanha do ex-presidenciável Aécio Neves, fato que foi ocultado na reportagem

No último domingo (22), o programa Fantástico, da Rede Globo, revelou um esquema de pagamento de propina a políticos do Rio Grande do Norte. As irregularidades foram delatadas pelo empresário George Olímpio e teriam ocorrido entre 2008 e 2011, quando ele montou um instituto para prestar serviços de cartório ao Detran do estado. O instituto tinha a função de cobrar uma taxa de cada contrato de carro financiado no Rio Grande do Norte. Mas, segundo o Ministério Público, nessa taxa estava embutido o custo da propina.

Em um dos trechos de seu depoimento, Olímpio cita o senador José Agripino Maia (DEM-RN), coordenador da campanha do ex-presidenciável Aécio Neves. Porém, qualquer referência ao candidato tucano foi ocultada na reportagem. Segundo o empresário, Agripino teria pedido mais de R$ 1 milhão no ano de 2010, em um encontro no próprio apartamento do político. “Subimos para parte de cima da cobertura de José Agripino, começamos a conversar e ele disse: ‘É, George, a informação que nós temos é que você deu R$ 5 milhões para a campanha de Iberê [governador à época]‘”, afirmou.

De acordo com o delator, o senador ameaçou prejudicar o esquema ilícito realizado no Detran, se não recebesse o valor desejado. “Eu dei R$ 1 milhão para a campanha de Iberê. Ele disse: pois é, e tal, como é que você pode participar da nossa campanha? Eu falei R$ 200 mil. Disse: tenho condições de lhe conseguir esse dinheiro já. Estou lhe dando esses R$ 200 mil, na semana que vem lhe dou R$ 100 mil. Ele disse: ‘pronto, aí vai faltar R$ 700 mil para dar a mesma coisa que você deu para a campanha de Iberê’. Para mim, aquilo foi um aviso bastante claro de que ou você participa ou você perde a inspeção. Uma forma muito sutil, mas uma forma de chantagem; R$ 1,150 milhão foi dado em troca de manter a inspeção”, contou.

A inspeção a que ele se refere diz respeito à compra de uma lei que torna obrigatória a inspeção veicular no estado, mesmo naqueles veículos que acabaram de sair da fábrica, conforme explicou o promotor de Justiça Paulo Batista Lopes Neto. Para a lei ser aprovada rapidamente, George diz que contou com a ajuda do deputado Ezequiel Ferreira, do PMDB, hoje presidente da Assembleia Legislativa.

Na sexta-feira (20), o procurador-geral da Justiça denunciou Ezequiel, ou seja, entregou a acusação formal ao juiz por crime de corrupção passiva. O valor da propina foi pago, mas a inspeção nunca chegou a funcionar porque, ainda em 2011, o Ministério Público descobriu todo o esquema. Na ocasião, 34 envolvidos foram denunciados, inclusive George Olímpio. Mas foi só em 2014 que ele decidiu contar tudo. Procurado, o senador José Agripino negou qualquer envolvimento com atos de corrupção e disse não fazer parte das negociações comandadas pelo empresário.

Foto de capa: Moreira Mariz/Agência Senado
(*) Portal Fórum

SwissLeaks o caramba! O nome do negócio é Suíçalão do HSBC

A mídia que achincalha a Petrobrás protege indecorosamente o HSBC e os barões ladrões por trás desse grande escândalo financeiro.

Os bacanas, milhares deles brasileiros, cometeram crimes de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e evasão em grandes proporções. Isso sem contar com outros crimes que podem estar associados à origem do dinheiro.

Depósitos milionários foram feitos no banco britânico HSBC, em sua filial na Suíça, para desviar montanhas de dinheiro que deveriam ser pagas em impostos, mas que preferiram fazer um passeio pelos Alpes.

Não se trata de dinheiro privado. É dinheiro público depositado em contas privadas. É corrupção da grossa, mesmo que feita por 'gente fina' - gente diferenciada, pelo menos por suas contas bancárias; e gente educada, pelo menos na arte de sonegar impostos e lavar dinheiro.

Leia Mais: Especial: ¨Quem é devorado pelos impostos no Brasil¨.


Sonegação e lavagem de dinheiro são e devem ser tratados como crimes de assalto aos cofres públicos. Por isso, a tradução exata do escândalo conhecido lá fora como SwissLeaks (**), em bom Português, é Suíçalão.

Suíçalão do HSBC, para ficar claro o mentor intelectual do crime e para manter no ar a suspeita, mais que plausível, de que muitos outros bancos possam ter feito o mesmo.

É preciso tratar o caso pelo apelido que ele merece, nem acima, nem abaixo do que se fez com os mensalões, o petrolão e o trensalão.
O fato de que os crimes relatados vinham sendo cometidos há décadas deixa claro como o mundo dos ricos é mantido em uma zona de conforto por governos - incluíndo-se aí seus bancos centrais -, judiciário e imprensa, mesmo quando as táticas são mais que conhecidas.

O escândalo ainda mostra como os grandes bancos são as maiores lavanderias do planeta. O HSBC não apenas abriu suas portas e seus cofres para os depósitos em dinheiro. O banco orientou clientes a como realizar em segredo práticas sabidamente criminosas.

Para coibir a prática de forma mais eficaz seria preciso estabelecer uma regulação do sistema financeiro internacional que impusesse maior transparência e punições mais duras. Alguém imagina que, sem isso, coisas desse tipo jamais irão se repetir? Claro que não. Ficar à espera de vazamentos é pouco.

Chega de camaradagem com a corrupção privada. Sonegação e lavagem de dinheiro são coisas de gente que faz - como dizia a propaganda do finado Banco Bamerindus, doado a esse mesmo gigante das finanças, o HSBC, por um Banco Central que foi sempre muito benevolente com Londres e a Suíça.

Os barões ladrões brasileiros estão na nona colocação entre os que mais surrupiaram dinheiro, com a ajuda do HSBC suíço.

O valor sonegado apenas por esse seleto grupo está estimado, por enquanto, em R$ 20 bilhões.

O valor é próximo aos R$ 18,7 bilhões não pagos em impostos pelo Itaú quando realizou a fusão com o Unibanco, em 2008.

O dinheiro dessas duas 'pequenas' sonegações é maior que o de qualquer outro escândalo de corrupção, mas nem todos se escandalizam em igual proporção.


A corrupção fiscal é hoje o principal inimigo do Estado brasileiro, de suas políticas sociais, como a saúde, há décadas subfinanciada, e até mesmo de suas políticas fiscal e monetária.

Daria para pagar um bom pedaço dos juros da dívida pública com o dinheiro dos ricos, ou melhor, o dinheiro dos pobres que os ricos preferem sonegar.

Apesar de todas essas evidências, o escândalo de corrupção até agora tem merecido apenas notas de rodapé do cartel de mídia aqui presente.

Como na época da ditadura militar, sabemos detalhes do escândalo mais pela mídia internacional do que pelo cartel midiático que nos habita.


A mídia que achincalha a Petrobrás protege indecorosamente o HSBC e os barões ladrões por trás desse grande escândalo financeiro. Todos são tratados com candura ou mantidos em obsequioso segredo.

É que, para nossa mídia orwelliana, todos são iguais, mas alguns são mais iguais do que outros.


(*) Antonio Lassance é cientista político.

(**) A expressão SwissLeaks se refere aos vazamentos ('leaks') que permitiram que investigações sob segredo de justiça se tornassem públicas. A Suíça ('Swiss') foi o destino preferido do dinheiro roubado.
(***) Extraído da Revista Carta Maior.